Mensagem do Presidente

Caros Colegas

A pandemia COVID-19 que, de forma tão dramática, tem perturbado as nossas vidas, tem condicionado e continua a condicionar as nossas decisões, dificulta a programação de reuniões. Ainda assim, fazemos a gestão possível, mesmo que sem horizonte próximo, trabalhando como sempre em prol da nossa Sociedade, dos Associados e obviamente dos Doentes.
De facto, os Dermatologistas são os Especialistas que melhor conhecem e sabem tratar o exterior do corpo, desde os cabelos até às unhas.
Uma atualização Médica continuada estará sempre nos nossos propósitos, recorrendo aos grupos de trabalho que se foram criando, nas diversas áreas que compõem a nossa Especialidade.
Vamos manter a relação privilegiada com a Indústria Farmacêutica, esperando ansiosamente o dia que nos possamos cumprimentar em carne e osso.
Vamos manter ou se possível melhorar, a comunicação com a Sociedade Civil, apesar dos constrangimentos.
A Dra. Manuela Reis e a Dra. Ana Quiñoy, que têm vestido a camisola SPDV no secretariado próprio que iniciámos em 2015, são a dinâmica forte que criou condições para a longevidade robusta na nossa SPDV.
Vamos procurar trazer mais-valias para os nossos colegas e amigos Dermatologistas, seja na organização dos Congressos seja na aquisição e disponibilização de material para atualização.
Esperamos que a nossa Biblioteca que tem crescido com dádivas dos nossos colegas Dermatologistas ou herdeiros, continue a receber todo o material que continue a ser doado, por forma a termos na nossa sede a história da Dermatologia de Portugal, criada em 1936 como Sociedade.
O levantamento de questões é bem-vindo, sendo apreciado que venham acompanhadas de sugestões, sobre todos os aspetos do mundo que nos rodeia, para nos tornarmos melhores e mais profícuos no apoio aos nossos associados.
Todas as Direções que nos precederam fizeram sempre o melhor pela Dermatologia Portuguesa e é também nessa perspetiva que continuaremos a fazer o nosso caminho.
Prosseguiremos com o relacionamento preferencial e partilha de conhecimentos com os nossos colegas e irmãos que falam a mesma língua, com benefícios para ambas as partes.
Não queremos deixar de salientar, ainda, o facto de, no momento, muita da atividade desenvolvida, tanto científica como clínica, acontecer de forma não presencial, tornando muito limitado o contacto humano a que estamos habituados. Todavia, também isso contribuiu para nos reinventarmos e encontrarmos novas estratégias de resolução dos problemas com que nos vamos deparando.
Somos solidários com os médicos, em especial os que trabalham junto de doentes com COVID-19, dermatologistas ou de outras especialidades, cuja atividade presencial envolve os riscos que se conhecem.

Com grande amizade e promessa de muito trabalho.


Pela Direção,

António Massa
Partilhar: