Colégio de Especialidade
Colégio de Especialidade de Dermatovenereologia









DIRECÇÃO DO COLÉGIO DE DERMATOVENEREOLOGIA DA ORDEM DOS MÉDICOS - 2015 / 2018

NORTE
 

  • Maria Manuela Selores Azevedo Meirinhos, Presidente
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM em 1987 (nº16073)
        Assistente Graduada Sénior. Directora do Serviço de Dermatovenereologia do Centro Hospitalar do Porto -Hospital de Santo António
        Professora Convidada Associada de Dermatologia do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto

  • Artur José Queirós de Sousa Basto,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM desde 1977 (nº 12275 )
        Assistente Graduado Sénior Ap. Ex-Director do Serviço de Dermatologia do Hospital de Braga
        Professor Convidado de Dermatologia da Escola de Ciências de Saúde da Universidade do Minho

  • Alberto Joaquim Vieira Mota,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM desde 1998 (nº 33850)
        Assistente Graduado. Serviço de Dermatologia do Hospital de São João, no Porto
        Professor Auxiliar e Regente da disciplina de Dermatologia e Venerologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

  • Mónica Ferreira Caetano
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM em 2006 (nº 38323 )
        Assistente. Centro Hospitalar do Porto-Hospital Santo António
        Assistente convidada de Dermatologia do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto

CENTRO

  • Martinha Maria Rita Silva Henrique,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM desde 1992 (nº27181 )
        Assistente Graduado Sénior. Directora do Serviço de Dermatologia do Hospital de Santo André, Leiria

  • Ricardo José David Costa Vieira,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM desde 2005 (nº37623)
        Assistente. Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra
        Professor Auxiliar de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra


SUL

  • Maria Gabriela Vieira Marques Pinto,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM desde 1991 (nº26696 )
        Assistente Graduada em dedicação exclusiva. Hospital de Curry Cabral, em Lisboa
        Editora da revista “Trabalhos da SPDV”

  • Rui Carlos Tavares Bello ,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM em 1993 (nº26089 )
        Assistente Graduado. Hospital Militar Principal (1993-97) e Hospital dos Lusíadas
        Pós-graduação em Direito da Saúde na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa

  • Cecília Silva Nunes de Moura Dionísio,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM em 1995 (nº31301 )
        Assistente Graduada. Instituto Português de Oncologia de Lisboa
        Assistente convidado da cadeira de Dermatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa

  • Maria de São José Pereira Marques ,
        Especialista em Dermatovenereologia pela OM em 1984 (nº16115 )
        Assistente Graduado Sénior Ap. Ex-Director do Serviço de Dermatologia do Hospital de Santarém




PROGRAMA DE ACÇÃO - NOVOS HORIZONTES PARA A DERMATOVENEREOLOGIA

Os Colégios das Especialidades são órgãos técnicos consultivos da OM e têm como missão a valorização do conhecimento e exercício da Medicina de forma a atingir os padrões mais elevados para o benefício da Saúde da população.
 
A Medicina Portuguesa enfrentou nestes últimos anos importantes desafios face ao contexto económico e social, a que a Dermatovenereologia não ficou imune. A reformulação da Carreira e Internato Médicos, as alterações profundas na demografia e as radicais transformações nas relações laborais e contratuais quer no sistema público quer no privado exigiram, por parte do Colégio, organização, determinação e independência. A Direcção cessante considera ter estado à altura destes tempos difíceis, garantindo enquadramento científico, clínico e ético sólidos e adequados a cada situação particular.
 
Apesar das dificuldades, à nossa frente perspectivam-se novos horizontes para a Dermatologia Portuguesa. O incessante progresso técnico-científico associado à renovação geracional em curso proporcionam oportunidades únicas de crescimento e evolução mas exigem liderança e intransigência na defesa da qualidade assistencial e do acesso equitativo dos cidadãos aos cuidados de saúde.

O QUE NOS PROPOMOS FAZER

Internato Médico
  • Realização de visitas de verificação periódicas de forma a garantir a correcta atribuição de idoneidades e capacidades formativas para o Internato de Dermatovenereologia.
  • Incentivar os Serviços a garantirem o treino clínico nos estágios obrigatórios com condições de formação sólidas e sustentadas no tempo.
  • Valorizar o papel do orientador de formação no planeamento e organização dos estágio
Admissões ao Colégio de Dermatovenereologia
  • Manter a exigência no exame da Especialidade do Colégio de candidatos de países não comunitários.
Sub-especialidades e Competências
  • Promover o debate sobre a criação de novas sub-especialidades e/ou competências em áreas de fronteira: Dermato-cosmética, Alergologia Cutânea, etc.
Serviço Nacional de Saúde
  • Incentivar os Serviços e as Unidades de Dermatologia no SNS, de forma a consolidar a diferenciação e o carácter hospitalar da nossa especialidade nos primeiros e a melhorar o acesso da população a cuidados dermatológicos de qualidade no caso das Unidades, tal como preconizado na Rede de Referenciação Hospitalar.
Medicina Privada
  • Continuar o trabalho de defesa do exercício privado da Dermatologia, com voz activa na elaboração de legislação quando solicitado pelo Ministério da Saúde.
  • Contribuir para o reconhecimento do exercício da Dermatologia de proximidade de acordo com critérios de qualidade, racionalidade, sensatez e adequação à realidade nacional.
  • Reiterar desacordo relativamente a regulamentos desproporcionadamente exigentes na concepção de espaços e de obtenção de materiais e fármacos necessários ao exercício cabal da especialidade , favorecendo grandes grupos em detrimento de clínicas e consultórios tradicionais.
  • Não pactuar com tentativas de limitação e pseudo-auditoria da prescrição de medicamentos inovadores de forma de limitar o acesso dos doentes a estas terapêuticas.
UEMs
  • Manter a participação activa do Colégio neste importante fórum da Dermatologia Europeia (elaboração de guidelines e curricula unificados; Exame Europeu de Dermatologia).
Cooperação
  • Incrementar a colaboração entre a SPDV e o Colégio, estruturas com missões complementares e decisivas para o prestígio e o desenvolvimento harmonioso da Dermatologia.






Partilhar: